Notícias

Por que as cesáreas no Japão têm corte vertical?

Por que as cesáreas no Japão têm corte vertical?

Bastante comum no Brasil, onde mais de 55% dos bebês vêm ao mundo por esse tipo de parto, a cesária envolve um corte no abdômen de pelo menos 10 centímetros. O mais comum é que ele seja horizontal.

Mas em muitas clínicas e hospitais japoneses, assim como em outros países asiáticos como China e Coreia do Sul, ainda se opta até hoje pelo corte vertical (ou longitudinal) na cesárea - mesmo que em situações "normais".

 

Essa opção chamou atenção de leitores da BBC Brasil que comentaram um vídeo sobre um serviço gratuito criado pelo tatuador chinês Shi Hailei, de Xangai, na China, para mulheres que realizam partos por cesariana no país.

Por serem verticais, as cicatrizes têm mais chance de "aparecer", e muitas mães querem escondê-la. O tatuador "disfarça" as cicatrizes da operação com tatuagens a gosto da cliente.

O vídeo gerou muitos comentários surpresos justamente por causa do corte na vertical. "Na China, a cicatriz é na vertical?", questionou o leitor Raphael Calheiros Marques, enquanto outra leitora, Helen Ayumi, que mora no Japão, contou sua própria experiência de parto no país.

"Aqui no Japão também é na vertical... a minha (cicatriz) foi na vertical e eu tatuei uma âncora. O meu médico disse que as fibras musculares da barriga são na vertical e, por isso, verticalmente é o mais correto", afirmou.

"Eu pedi muito para o médico fazer na horizontal e ele disse que não faria (até chorei)... mas como não tinha mais tempo para procurar outro médico que fizesse na horizontal (porque minha filha estava passando da hora de nascer) foi na vertical mesmo."